pergunto-me que mundo é este, invadido de falsidade e egoísmo. lembro-me bem, á uns anos, dizias que gostavas muito de mim, adoravas-me, era «para sempre», eras das melhores amigas, «eu nunca te vou deixar» muito se ouvia, e hoje, passados dois anos, passas por mim na rua, olhas-me com superioridade, fazes-me um olhar e segues em frente. eu ás vezes tenho uma vontade de te agarrar com força e gritar-te bem nos ouvidos 'para onde foram as palavras que antes dizias? e os gestos, os abraços, as tardes, as fotografias, os sorrisos? tu lembraste disso?'. e hoje, toda a gente diz o mesmo, para sempre e sempre, quero ver quantas pessoas daqui a uns anos vão passar na rua e abraçar-me com força, quero ver quantas pessoas me vão mandar uma mensagem, quero ver quantas pessoas me vão desafiar a um jogo, quero ver quantas pessoas me vêm convidar para ir ao cinema, ou simplesmente a sair de casa para nos vermos. as pessoas utilizam palavras sem saberem o verdadeiro valor delas. dizem amo-te sem o sentirem, dizem amo-te sem conhecerem, dizem amo-te para não parecerem mal e na qual não têm noção do verdadeiro significado dessa palavra.
até breve, que isto agora não vale de nada.

inêsrebelo.

2 comentários:

m. disse...

adorei, tanto *

CatarinaMello disse...

Essas palavras lembram--me uma fase complicada que também tive na minha vida :)
Mas o melhor é esquecer mesmo e maguando uma vez , a amizade nunca mais volta a ser a mesma . Digo-te isto, por experiência própria , infelizmente :s